Tecnologia

Programa do Instituto TIM apresenta projetos que transformam trabalhos universitários em soluções e startups tecnológicas

Academic Working Capital (AWC), programa de empreendedorismo universitário do Instituto TIM, terá uma intensa programação em São Paulo neste final de semana (17 e 18). Além de um workshop (17) para os alunos participantes, focado em soluções para problemas concretos, o projeto é parceiro da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

O encontro acontece no domingo (18), na sede da FIESP na Avenida Paulista, e debaterá temas como tecnologias e inovação nas universidades e open innovation como meio de conexão entre grandes empresas e startups. Os universitários selecionados da turma de 2019 do AWC apresentarão suas soluções em uma feira aberta ao público, que contará com a participação e as orientações de investidores-anjo para a evolução dos projetos.

“O AWC do Instituto TIM atua na transformação de ideias em empreendedorismo inovador. Ajudamos a tirar do papel Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) com potencial de se traduzir em soluções inéditas e na criação de startups focadas em aplicações relevantes para a vida das pessoas. Ao mesmo tempo, o programa incentiva os jovens no final do percurso acadêmico a vislumbrar um mercado de trabalho mais dinâmico, atual e com oportunidades baseadas no seu próprio talento”, explica Mario Girasole, Presidente do Instituto TIM.

As propostas de projetos inscritas são selecionadas por meio de edital coordenado pela Escola Politécnica da USP. Os jovens recebem apoio financeiro para desenvolver suas ideias e soluções, além de orientação técnica e de negócios, por meio de workshops e acompanhamento semanal com monitores. No fim do ano, participam da feira de investimentos do programa e apresentam suas soluções para profissionais do mercado e investidores-anjo.

Já participaram do programa 300 estudantes, desenvolvendo 109 projetos, alguns com destaque nacional e internacional. Na edição de 2018, três projetos do AWC estiveram entre os cinco finalistas da HackBrazil, competição que premia ideias inovadoras realizada na Brazil Conference at Harvard & MIT, em Boston (EUA). A equipe da startup cearense Aqualuz, com dispositivo que utiliza a radiação solar para tornar potável a água de poços ou cisternas, ficou na segunda colocação e recebeu apoio financeiro para continuar investindo na sua solução.

Na turma de 2019 do AWC estão 34 projetos de alunos de 27 faculdades de seis estados (São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Amazonas e Ceará) mais o Distrito Federal.