Tecnologia

Startups: empresa cearense inova no mercado com ponto eletrônico digital

O Brasil fechou 2019 em terceiro lugar no ranking dos maiores criadores de startups unicórnios do mundo. Segundo informações da base de dados americana Crunchbase, depois de Estados Unidos e China, o Brasil foi o país que mais criou startups avaliadas em US$ 1 bilhão de dólares ou mais, as chamadas startups unicórnios.

Movimentando o cenário da inovação e empreendedorismo no Ceará, a CSI Locações, através da Cognus, sua incubadora de startups, criou uma plataforma que funciona como um ponto eletrônico digital, facilitando o gerenciamento do horário dos funcionários dentro das empresas. “Com o Puntu, o funcionário pode bater o ponto de onde estiver, via aplicativo  ou web, através do https://puntu.com.br/; sem precisar estar pessoalmente no local de trabalho. Com isto, facilitamos os deslocamentos, otimizamos procedimentos e reduzimos custos”, explica Patrick Alex, CEO da CSI.

O Puntu é autorizado pela portaria 373 do Ministério do Trabalho – MTE, que permite o uso de Sistemas Alternativos de Controle da Jornada de trabalho, desde que autorizados por Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho. O serviço já funciona com mais de 800 empresas cadastradas na base, distribuídas em todas as regiões do país.

Sobre a CSI

A CSI Locações atua no mercado brasileiro desde 1999, nas áreas de locação de energia, equipamentos de audiovisual e tecnologia da informação. É considerada a maior e mais inovadora empresa em seu ramo, sendo reconhecida nacional e internacionalmente.

Em 2019, recebeu a certificação ISO 56.002 pelas melhores práticas de gestão da inovação, chancela internacional inédita no mundo para uma empresa do segmento de serviços. Nacionalmente, ainda em 2019, a empresa conquistou o Selo Verde, do Instituto Internacional Chico Mendes, por adotar as melhores práticas de sustentabilidade; e o Selo Ouro de Qualidade em Serviços, emitido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae/Ceará.

Com foco nos resultados e na tecnologia, o diretor, Patrick Alex, investirá 5% do faturamento em equipes para trabalhar a inovação.