Cultura

Após lançamento do livro “Tom, Elis e Chico”, escritora Mônica Mota planeja fazer palestras nas escolas do Ceará

A jovem escritora de Pentecoste, Mônica Mota, 22, é conhecida por ser a idealizadora da campanha “Todo Dia é 18 de maio” e desenvolver ações em sua cidade que visam prevenir e combater o abuso sexual infantil. Durante o lançamento do livro “Tom, Elis e Chico”, na Bienal Internacional, na última quarta-feira (21), a autora revelou que planeja levar a publicação para as escolas por meio de palestras com o objetivo de alertar e orientar sobre esse tipo de violência, além de conversar com pais, educadores e crianças. “Queremos que o livro seja um ferramenta pedagógica não somente para identificar possíveis casos de abuso sexual mas, sobretudo, buscar por meio do livro prevenir essa violação de direitos”, afirmou.

Lançada pela editora Brasil Tropical, a obra narra a história de três macaquinhos irmãos que, após sofrerem abuso sexual, perdem toda a magia e a alegria da infância usando uma linguagem lúdica que colabora para que a temática seja abordada de forma leve. A publicação conta com as ilustrações da designer Lia Britto e é destinada para crianças de 4 a 10 anos. O livro já está disponível para venda na Livraria Benfica (Shopping Benfica – Av. Carapinima, 2200 – Loja 06) pelo valor de R$ 36 reais.

Mônica Mota

Mônica Mota é natural de Pentecoste, interior do Ceará, da comunidade rural chamada Miguá -Terra. Vítima de abuso sexual na infância, vem se destacando por sua superação e por desenvolver ações que combater esse tipo de crime. A jovem de 22 anos promoveu a primeira audiência pública sobre o abuso sexual infantil e a primeira corrida de rua em Pentecoste para alertar acerca do tema, além de ministrar palestras para adolescentes, pais, professores e universitários sobre o temática.