Cultura

11º Festival de Dança do Litoral Oeste divulga programação

O Assentamento Maceió, em Itapipoca, foi o local escolhido para a abertura do 11º Festival de Dança do Litoral Oeste, no dia 29 de julho, às 19 horas. Em Cena, a bailarina cearense Rosa Primo no solo “Iracema”, o Grupo N ∞ em “Negro preto luminoso”, Nívea Jorge e Nazaré Rocha em “Balaias” e o Grupo Balanço do Coqueiro apresentando “O meu coco é a cor da minha gente”.

Ao longo de seis dias o Festival faz jus à sua proposta de integrar, mobilizar e difundir a dança cênica no interior cearense, se fazendo presente em espaços diversos como a terra indígena Tremembé da Barra do Mundaú e locais públicos da cidade como o Círculo Operário, a Rodoviária, o Ponto de Cultura Galpão da Cena e praças. Em espetáculos e intervenções de rua apresentam-se companhias de dança e bailarinos de Itapipoca, Itapajé, Trairi, Tabuleiro do Norte, Quixadá, Paracuru e Fortaleza, além de uma coprodução Colômbia/Brasil com a intérprete-criadora Daniela Yara Cantillo Castrillón. A programação completa pode ser conferida na página do Festival no Facebook: dancalitoraloeste.

HOMENAGENS: Cia Balé Baião, Andrea Bardawil e Cláudia Pires

Uma celebração aos 25 anos da Cia Balé Baião, uma das mais importantes representantes da dança contemporânea no estado, marcará a programação do dia 1º de agosto, no Círculo Operário de Itapipoca. Será o “Baião celebrativo – 25 anos da Cia Balé Baião”, que contará com exposição/instalação composta de 25 fotografias, com lançamento do livro “Dançar territórios de reinvenção”, uma produção coletiva da Escola Livre Balé Baião com apoio da Secretaria de Cultura do Ceará, apresentação de “Pátria sertaneja, a dança do corpo rebelde”, remontagem do espetáculo criado em 1997, com elenco formado por dançarinos da Escola Livre Balé Baião e convidados e, para encerrar a noite, show “Andarilhos da Utopia”, com os Tambores Afro Baião.

Este ano o Festival presta homenagem a duas mulheres protagonistas da dança no Ceará, nas últimas décadas. Uma delas é a coreógrafa Andrea Bardawil, que há 30 anos fundou a Cia de Arte Andanças. A homenagem será no dia 02, no Galpão da Cena, com apresentação do espetáculo “Graça”, resultado do encontro das coreógrafas Andréa Bardawil e Graça Martins. Cláudia Pires, primeira coordenadora pedagógica do Festival de Dança do Litoral Oeste, que festeja 25 anos de dança, será homenageada na noite de encerramento, com programação a partir das 20h na Praça da Matriz.

O Festival terá ainda na programação roda de diálogo conduzida por Isabel Marques (SP) sobre “Dança e narrativas de engajamento – dançar Paulo Freire”, e show “Da Silva el hijo de las Américas”, da banda Dona Zefinha e Pato Mojado.

Realizado de 29 de julho a 03 de agosto em Itapipoca, o 11º Festival de Dança do Litoral Oeste é uma realização da Associação de Artes Cênicas de Itapipoca (AARTI), Associação Dança Arte e Ação, de Paracuru, e Associação de Dança Arreios, de Trairi, com a consultoria executiva da Quitanda das Artes. Tem o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), Prefeitura Municipal de Itapipoca, via Secretaria de Cultura e Turismo, Ponto de Cultura Galpão da Cena, CETRA e Círculo Operário de Itapipoca. Coprodução: WM Cultural. Agradecimento: Enel.

O acesso a todas as atividades é gratuito, contribuindo para a democratização da cultura na região do Litoral Oeste e Vale do Curu, possibilitando a troca de experiências, o convívio, o fortalecimento de vínculos, a acessibilidade artística e a celebração dos afetos que mobilizam a dança cênica no interior do Ceará.

11º Festival de Dança do Litoral Oeste – Dias 29, 30 e 31 de julho e 01, 02 e 03 de agosto de 2019 em Itapipoca, Ceará. Informações: Facebook: https://www.facebook.com/dancalitoraloeste/